quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

E o ponto G existe?

Este é um caso em que as evidencias não são conclusivas. Pelo menos é essa  a minha opinião. Mas neste caso pode ser porque a verdade pode estar mesmo no meio termo. 

Existem estudos que sugerem que sim (1)(5) , estudos que sugerem que não (2)(3)(4). O debate não me parece ainda ter chegado ao fim.

Os estudos que estão referenciados em (1) e  (2) são acerca da procura de uma diferenciação histológica ou bioquimica, como maior numero de fibras nervosas. 

Outros autores (3) abordaram o assunto do ponto de vista electrofisiológico e encontraram um ponto que parece funcionar como o "pacemaker" da vagina e sugeriram que este marcapasso das ondas electricas - que está provavelmente associado a contrações do tecido muscular - fosse o ponto G.

Uma abordagem ecográfica (4) permitiu a outros autores propor que o ponto G seria a base interna do clitóris. 

Um estudo recente feito através do inquerito de 1800 gemeas sugere que não. Apesar de 56% ter respondido que considera possuir um ponto G, não foi encontrada uma ligaçao nenhuma entre as gemeas identicas. O que seria de esperar se houvesse uma base genética.

Embora o estudo aponte fortemente para uma resposta subjectiva das inquiridas, o autor do post de onde eu estou a resumir este acha que não. Que pode ser mesmo uma questão de enorme variabilidade individual aliada ao tipo de experiencia da pessoa. 

Eu acho que para concluir isso é preciso mais informação.  Na realidade o Steve Novella tambem. É um artigo interessante que vale a pena ler.

Via Neurologica blog:  http://www.theness.com/neurologicablog/?p=1428

(1)http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/8560964?ordinalpos=1&itool=EntrezSystem2.PEntrez.Pubmed.Pubmed_ResultsPanel.Pubmed_SingleItemSupl.Pubmed_Discovery_RA&linkpos=1&log$=relatedarticles&logdbfrom=pubmed

(2)http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11518892?itool=EntrezSystem2.PEntrez.Pubmed.Pubmed_ResultsPanel.Pubmed_RVDocSum&ordinalpos=20

(3)http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15205981?itool=EntrezSystem2.PEntrez.Pubmed.Pubmed_ResultsPanel.Pubmed_RVDocSum&ordinalpos=13

(4)http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19453931?itool=EntrezSystem2.PEntrez.Pubmed.Pubmed_ResultsPanel.Pubmed_RVDocSum&ordinalpos=1

(5)http://www.timesonline.co.uk/tol/news/science/article6973971.ece

Enviar um comentário