quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Porque discutir com criacionistas.

O Mats, no seu blogue "Genesis contra Darwin" diz assim:

"Sob o título de "Estudo Sugere que os Primeiros Animais Evoluiram em Lagos e não nos Oceanos"os evolucionistas da National Geographic News contradizem uma das crenças fundamentais da teoria da evolução. "(1)

Esta frase é aquilo que podemos chamar de intelectualemte desonesta. Antes de mais, a origem da vida não é um pilar de suporte da Teoria da Evolução. Quanto muito o modelo evolutivo poderá sugerir o tipo de processo que iniciou a evolução. Mas não é nada em que a teoria se baseie. A teoria, ou mais correctamente o modelo é sobre a evolução e não sobre a origem da vida. Que se estejam a descobrir evidências que suportem uma origem evolutiva da vida é absolutamente desnecessário para provar que há evolução. Mas estão-se a fazer essas descobertas. escrevi sobre isso diversas vezes. Esses posts estão sobre a etiqueta origem da vida (2).

A desonestidade ainda vai mais longe, se o que está em causa é o local onde a vida apareceu. E ainda por cima se se considera que estudos que sugerem que a vida surgiu num lago salgado em vez de no mar fragilizam ou contradizem a teoria da evolução. Porque é isso que o artigo diz (lago salgado em vez de no mar). Sigam o link! Como é que isso contraria a teoria da evolução? É mais um disparate criacionista pouco ralado com a lógica. Esse não é um aspecto fundamental da teoria - ser num lago salgado ou no mar.

Porque então perder tempo a responder a estas coisas tão óbvias? Sobretudo porque os criacionistas são tão poucos em Portugal?

Porque a Teoria da Evolução é uma teoria cientifica formidável, tão sofisticada como a mecânica quântica ou a teoria da relatividade e igualmente difícil de compreender. É preciso saber lidar com números grandes e probabilidades, entre outras coisas, para a perceber a fundo.

É fácil, para quem não se debruça frequentemente sobre o tema, pensar encontrar entraves. E os criacionistas abusam disso. Acho que é importante haver divulgação em nome da verdade. E estes debates ajudam a divulgar. Porque se não o fizermos, podemos ter que a aturar nas escolas em uns poucos de anos como acontece nos estados unidos. Em vez de estar à espera que os investimentos económicos dos criacionistas (3) não tenham impacto na população, mais vale apontar sistematicamente a sua lógica perversa.

Nem que seja porque a verdade é importante (4) e a ciência pode não ser a explicação perfeita, mas é o melhor que se consegue. E nós precisamos dela. A única hipótese de manter a humanidade com os números actuais e a viver em condições é usarmos toda a nossa tecnologia para nos dar essas condições. E os criacionistas querem redefinir o que é ciência para explicar determinadas coisas como tendo origem em entidades sobrenaturais. Querem usar a tecnologia mas destruir o método que lhe deu origem sem pensar em consequências. Em rigor, dizem que determinadas coisas que os contrariam não são ciência. A perversão é enorme.

Adicionalmente, a discussão faz parte do método cientifico, não exactamente com leigos que nem sequer sabem distinguir ciência de pseudociência, mas discutir com criacionistas parece-me um modo de mostrar porque a ciência explica as coisas da maneira que explica - e porque aceita como teoria uma coisa e não outra. Neste casos aceitou a teoria da evolução e rejeitou o criacionismo que foi um modelo aceite até Darwin e até por muitos cientistas importantes (se bem que muitos também não eram realmente biólogos, onde a dúvida fermentava...).

Já tenho falado sobre o principio da falsiabilidade várias vezes, e a Internet está cheia de explicações e justificações da sua importância, por isso hoje já chega.

Mas ao discutir com criacionistas acho que também nos apercebemos melhor do porquê de a ciência funcionar como funciona, com discussão honesta e aberta e exigência acerca das teorias que aceita.

E ao denunciar argumentos tão escandalosamente inadequados como este, chamar a atenção para o que sugere o seu uso.

Os criacionistas não são sequer capazes de explicar o mecanismo que impede um organismo de evoluir. A não ser a explicação do pecado original que diz que só nos podemos degradar e que as mutações TÊM de ser más. Porque Deus quer. E porque Deus criou. Mas isso não explica como funciona nada.

E só por curiosidade, porque não passa disso: Darwin achava que a vida tinha surgido num lago quentinho.

(1)http://genesiscontradarwin.blogspot.com/2009/08/afinal-vida-nao-comecou-nos-oceanos.html
(2)http://cronicadaciencia.blogspot.com/search/label/Origem%20da%20Vida
(3) Parque Discovery: http://discovery.pt/PDiscovery.swf
(4)http://cronicadaciencia.blogspot.com/search/label/verdade
Enviar um comentário