sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Anti-vacinação

De toda a pseudociência que tem invadido o nosso país a única que ainda não vi ganhar fortes defensores é a da teoria anti-vacinação que diz que a vacinação é causa de autismo. Os osteopatas há muito que são contra a vacinação mas nos Estados Unidos, que desde a ultima administração são um manancial de teorias da conspiração, a coisa tornou-se um fenómeno de rua, com artigos na “Rolling Stone”, campanhas com génios como a Britney Spears e uma série de outros peritos instantâneos a defender que a vacinação é ela própria uma conspiração de grandes farmacêuticas e da medicina.

É difícil exagerar nas vantagens que as campanhas de vacinação tiveram na saúde pública, e de como estas fazem ainda hoje tanta falta no terceiro mundo. Que as vacinas podem ter efeitos adversos também não é novidade, mas não é disso que se trata. Os riscos largamente compensam os benefícios, mas também não é disso de que se trata. Trata-se de um risco que não existe.
Trata-se de manipulação da opinião pública. Trata-se de mais uma onda de pseudociencia, para não variar acoplada a uma teoria da conspiração, com efeitos perto do criminoso na saúde infantil. A associação da vacinação ao autismo é tão treta como a ideia de que a terra é plana.
Numerosos estudos nos últimos anos, alguns em grande escala, tem vindo a demonstrar não existir relação de causa efeito. No entanto, esses peritos instantâneos, que dizem que sabem mais que a comunidade científica em peso, continuam a defender o impensável. Entre eles encontra-se Robert F. Kennedy Jr. ,politico notavel que começa a ser apontado como possível nomeado para a pasta do ambiente por Obama.

A comunidade científica começa a ficar inquieta com tal possibilidade, nomeadamente os médicos. A perspectiva de mais uma administração que quer transformar a ciência num assunto político é transtornante. Proponho a leitura dos blogues dos médicos americanos Steve Novella (1)e Orac(2)sobre este assunto. Ler os comentários é de extremo interesse também, sobretudo do blogue do Orac, onde a questão que se discute é o que se poderá fazer para evitar isso.

Esta pode ser mais um post com uma pitada de política, mas como tenho visto, a maior parte dos bloguistas de ciências até concorda comigo. O que se fizer na América vai ter repercussões no mundo inteiro. Espero não me ter enganado acerca da vitória de Barack Obama, não por mim, mas pelo que isso representa. A verdade é que esta possibilidade me deixa preocupado


(1) http://www.theness.com/neurologicablog/?p=414
(2)http://scienceblogs.com/insolence/2008/11/say_it_aint_so_barack_say_you_aint_serio.php
PS: As vacinas em causa são as contendo timerosal.
Enviar um comentário