segunda-feira, 3 de novembro de 2008

4 frases que prenunciam alegações fantasticas.

Depois do título sensacionalista, a que não resisti, admito, parece-me que há algumas afirmações que são usadas e abusadas para abrir a porta ao fantástico. Não é que sejam sempre mal usadas, por exemplo consigo imaginar contextos em que um filósofo da ciência poderia fazer bom proveito delas, mas muitas vezes não é o caso. De um modo geral arrisco-me a dizer que quando são usadas contra o conhecimento cientifico vigente, estão quase sempre erradas.

São frases que são usadas fora de um contexto razoável e que por serem verdadeiras até certo ponto parece que sustentam qualquer afirmação que se faça em seguida. Quando são usadas no inicio de uma exposição quase de certeza se pode apostar que o que se segue pertence ao mundo da fantasia. Porque a lógica que pressupõem é errada:

1- “A ciência não explica tudo”

Esta frase normalmente é usada como se fosse uma implicação do género: “se a ciência não explica tudo então não explica nada” ou “A ciência não explica tudo e por isso X é verdade”. Mas este raciocínio está errado de base. O facto de a ciência não explicar tudo não quer dizer que não explique muita coisa. Muito menos significa que não possa explicar o assunto X. Não significa mesmo que X possa eventualmente ser verdade.
Em resumo, não permite nenhuma conclusão a não ser que existe pelo menos um assunto Y que a ciência não explica. Não explicar Y não implica que não explique X. Mas é usada muito frequentemente neste sentido nos dias que correm.

2- “A ciência esta sempre a contradizer-se” ou “o que é verdade hoje é mentira amanha”

Ao contrário da frase anterior, que é verdadeira embora não sirva de argumento nos contextos habituais em que eu a tenho ouvido, esta é num certo sentido falsa. Muito menos significa que o seu uso serve para derrubar qualquer teoria. É como se dissesse que se teoria B derrubou teoria A então é porque teoria X também é falsa, independentemente de que teorias sejam estas. Este raciocínio é falso. Mas voltando atrás, o mais fascinante na ciência é ver como ela progride e cresce, tijolo a tijolo como se fosse um edifício em construção em que a informação vai se sempre acumulando. Qualquer facto novo, mesmo que contradiga uma teoria em vigor, representa progresso. Muitas vezes obtido a muito custo. A história da ciência mostra que ela tem evoluído sim, mas não retrocedido. Que é o que estas frases sugerem. Newton ilustrou bem o que quero dizer quando disse: “Se vi mais longe foi porque subi nos ombros de gigantes”. Mesmo quando há uma mudança de paradigma, raramente isso significa uma refutação total do que já se sabe, e infelizmente mudanças de paradigma não acontecem a toda a hora.

3 - “É Preciso manter um espírito aberto”

Mais uma frase que é verdadeira mas que é usada erradamente. A verdade é que para se fazer ciência não se pode ter senão um espírito aberto e aceitar os factos sejam eles quais forem. A ciência é na realidade uma posição de humildade perante o universo em que tenta que seja este a dar as respostas que nós procuramos para satisfazer a nossa vontade de saber. No entanto esta frase é usada muitas vezes como um pedido de “suspension of desbelieve” como que para apreciar qualquer história fantástica. É na realidade um pedido de suspender o espírito crítico. Como se fosse uma contradição ter espírito aberto e crítico simultaneamente. Como dizia Carl Sagan, a ciência esta no equilíbrio de ambos. Espírito aberto não significa acreditar em tudo e mais alguma coisa. Mais uma vez, é raciocínio enganoso.

4 - “A ciência tem muitos casos de provas forjadas e mentiras encobertas”, falhas, mentira, etc.

Não, não tem muitos casos, tem apenas alguns se virmos no contexto de todos os que produziram conhecimento. Demasiado poucos para que isso a caracterize. Demasiado poucos para que isso tenha impedido a sua evolução. É como se alguém disser que o facto de haver criminosos em Portugal faz de qualquer Português um criminoso. Ou para levar a frase no sentido em que ela é mais usada, o facto de haver criminosos em Portugal faria da nossa sociedade uma sociedade de criminosos. Isto faz algum sentido? Não.
Enviar um comentário