terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Manifestação anti-homeopatia e dilemas da ética céptica.

Tenho estado a pensar participar na campanha anti-homeopatia (1) apesar de ainda não ter conseguido arranjar companhia. Mas a minha consciência insiste que devo ir - a sociedade precisa que as pessoas que fazem parte dela sejam activas. As manifestações são mais que um direito (pelo menos em alguns casos). Não é aqui que está o problema.

O problema é que a manifestação inclui engolir uma data de medicamentos homeopáticos. É esse todo o ponto da questão. Simular uma overdose para mostrar que só com água não é possível.

O problema está em que eu não confio naquela gente, nos produtores de tretas homeopáticas, nem para lavarem os frascos que usam para vender aquilo.

Como é que é suposto confiar que aquilo é o que eles dizem, se eles dizem também que tratam e curam centenas de doenças quando sabemos não têm realmente eficácia nenhuma? Se não se importam de cobrar dezenas de euros por frascos alegadamente só com agua e açúcar sem eficácia terapêutica?

Quem me garante que cumprem normas de higiene, usam recipientes não tóxicos e que não metem mais nada lá para dentro, nem que seja um bocadinho de paracetamol e cafeína para ter de facto qualquer efeito?

Porque haveria de confiar que um medicamento homeopático é só agua e açúcar se todo o contexto é uma aldrabice pegada?


É simples, não confio. De resto, até me lembro de há uns anos ler um artigo que falava em resíduos de metais pesados e outros medicamentos nestas tretas homeopáticas.

Enviei um email à organização do protesto, e responderam-me que estão com a mesma preocupação. Que estariam a fazer uma lista de medicamentos homeopaticos que fizessem justiça à sua palavra para comprar depois na farmácia. Cada um leva o seu. Mas ainda que não me tenham dito como se obteria tal lista, uma vez que andar a testar tudo fica caro, a verdade é que andei a procurar no site da manifestação e não a encontrei ainda.

Se eu comprar um frasco e puser lá agua dentro, na prática estou a fazer um medicamento homeopático, ainda que sem aquelas feitiçarias de bater com o frasco não sei quantas vezes e etc. Mas não seria um medicamento comercial e não estaria a participar realmente da manifestação de mostrar a impossibilidade de overdose com medicamentos homeopáticos comerciais por não haver lá mais que agua e açúcar, precisamente com medo de que haja lá mais que agua e açúcar, ainda que por motivos de falta de cuidado ou aldrabice redobrada.

Estaria realmente a mentir. E a mascarar outra dúvida que sempre tive, que é quem garante que eles fazem o que dizem, já que o que dizem não faz nada.

Para isso não vale a pena ir. Ir sim é para emborcar aquilo ou ficar a ver. E ficar a ver... Para quê?

Sugestões?

(1) http://1023portugal.wordpress.com/desafio-1023/

 PS: Aos organizadores (caso passem por aqui): Eu apoio completamente o que estão a fazer. Como disse, confio é tanto naquela gente para vender agua como para curar  cancro.
Enviar um comentário