segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Materialismo e Naturalismo

O Materialismo explica-se melhor com uma reflexão sobre a seguinte questão:

Quando é que eu deixo de procurar uma causa natural para um fenómeno observável?

Quando não encontro a explicação?
Essa é a resposta que a humanidade deu até há umas centenas de anos atrás.

Depois disso, houve uma mudança de atitude. Talvez porque alguns homens demonstrassem ser possível explicar certas coisas através do mundo sensível, começou-se a tentar compreender esta mesma natureza sem recorrer a explicações sobrenaturais.

E as respostas começaram a vir. Alguém acabou por dizer que as entidades usadas numa explicação não devem ser multiplicadas para alem do nesseçário. Isto é, se podes explicar sem elas, porque as hás de introduzir na explicação?

Esta abordagem tem se mostrado extremamente prolifera. Embora os filósofos se debatam para tentar explicar os principios de simplicidade em termos lógicos, eles permitiram encontrar muitas explicações sobre como funciona o universo. Deu origem à tecnologia e ao corpo da ciência.

E isso, procurar as respostas para os fenómenos do mundo natural através de efeitos observáveis no mundo material é o materialismo.

E a ciência é materialista, ou naturalista, termo que eu prefiro pois a matéria não é tudo o que há no universo. E porque é que a ciência é materialista? Por causa da pergunta com que comecei este texto:

Quando é que deixamos de aceitar que a resposta está no mundo natural e aceitamos que só pode ter sido uma entidade sobrenatural?

Na pratica, esta resposta poderá vir, na melhor das hipoteses, quando se esgotar a ciência, quando se atingir a ultima gota de explicação dada pela ciência. Mas como não se sabe quando esse ponto chega ou se chegou, só resta continuar a tentar encontrar explicações materiais, que foi o que nos trouxe até aqui em termos de conhecimento cientifico.

Porque se formos pelo outro caminho, é possivel dizer que tudo é como é porque Deus quer. Chove porque Deus quer, a gravidade funciona como Deus quer, a doença é porque Deus quer. Isso até pode ser tudo verdade. Mas assim nunca vamos ter respostas que ajudem a compreender o clima, a física e a medicina. Tudo pode ser explicado como sendo milagre. Aliás isso foi a resposta aceite durante quase toda a existencia da humanidade. A ciência, sem excluir à partida a existencia de Deus, procura saber o máximo possivel sobre as coisas, funcionalmente. Mas isso só é possivel se não se recorrer à explicação sobrenatural.

Dizer que a ciência não é materialista, ou querer retirar o materialismo da ciência é errado. É uma tentativa de acabar com uma caracteristica intrinseca ao seu processo.

E é de facto uma estratégica que tem sido utilizada por defensores de pseudociencias como o desígnio inteligente ou o dualismo. Foi mesmo organizada uma estratégia para o fazer, formalizada no Wedge Document (1), proposto pelo Discovery Institute (2).

Não por terem encontrado uma resposta cientifica à questão referida. Mas, aparentemente, só porque não querem que a ciência possa encontrar soluções que não contenham Deus na equação - e porque isso é mau. Dizem eles. Para saber mais, ler o Wedge Document. Contado não é a mesma coisa...

(1)http://www.geocities.com/CapeCanaveral/hangar/2437/wedge.html Uma cópia do Wedge Document. Vale a pena ler.
(2)http://www.discovery.org/
Enviar um comentário