terça-feira, 17 de agosto de 2010

Rezar é tão eficaz como a acupunctura. Talvez menos.

Como tratamento ou cura, rezar ou não rezar pela saúde dos outros, é igual ao litro.

Se os pacientes souberem que estão a rezar por eles, há uma ligeira melhoria do seu estado de espírito. Mas se não souberem, qualquer vantagem de ter alguém a rezar pela sua saúde é igual à de vantagem tantas outras medicinas alternativas que não se baseiam em "pressupostos naturalistas". Nada.

A esta conclusão chegou uma Cochrane review (1)  depois de analizar uma série de estudos em que crentes tentavam interferir no processo mórbido através da prece.

As Cochrane reviews são dos mais prestigiados meta-estudos que existem  e praticamente por si lançaram a medicina baseada na evidencia - que é o mesmo que dizer que as coisas têm de acontecer para dizermos se são verdade.  Um pouco fundamentalista, pois às vezes estes estudos ainda não estão feitos para coisas que têm bom fundamento cientifico e muito provavelmente funcionarão. Mas seja como for, é uma tendência boa na medicina em que substitui a autoridade de pessoas pela autoridade dos factos brutos.

Gastam-se recursos a fazer estudos mas depois podemos saber com o que se pode contar ou não.  Receitar uma série de coisas porque é tradicional ou porque a sumidade tal faz deixou de ser uma justificação capaz.

Na conclusão pode ler-se:
"Não estamos convencidos que mais estudos sobre esta intervenção devam ser realizados e preferiríamos ver quaisquer recursos disponíveis para este tipo de ensaios usados para investigar outros assuntos da área da saúde"

Enviar um comentário