quinta-feira, 9 de setembro de 2010

E o problema é o ateísmo?

Stephen Hawking, o conhecido físico inglês disse que:

"Existe uma diferença fundamental entre a religião, que é baseada na autoridade, e a ciência que é baseada na observação e raciocínio - a ciência ganhará porque funciona" (1)

O presidente da Catholic League (2) , Bill Donohue respondeu que algumas religiões ignoram a ciência mas a religião católica não. Que até a privilegiava. (1) Deve estar a esquecer-se de 1000 anos de Idade Média, mas seja. A questão mais importante é outra. Nem a afirmação que faz acerca da importância pivotal que o homem tem no universo é o ponto mais crucial que vale a pena contestar veementemente.

É apresentar países como a China, a Alemanha (Nazi), o Cambodja e a antiga união soviética como prova de que "a ciência sem fé leva ao desastre"(1). Quanto muito poderia dizer que isto mostra que nações sem religião têm problemas, uma vez que isto não se refere a ciência mas a politicas. E depois, o problema nestes países não é a falta de religião. É a falta de liberdade e livre circulação de informação. É a prepotência dos seus regimes.

Existem várias linhas de evidência para justificar a minha critica:

1- A China tem (pelo menos) 30% de crentes religiosos (3), Hitler justificou o ataque aos judeus como um serviço a Cristo (4) e ele próprio se considerava Cristão. Existem religiões no Cambodja como seria de esperar. Sobra a União Soviética.
2- Dos países mais Ateístas do mundo, com menos de 35% de pessoas a responder que acreditam em Deus, estão a França, a Noruega, a Suécia, a Dinamarca, a Holanda, a Estónia e a República Checa. São todos  países do primeiro mundo.(5)
3- Imensos países com mais de 60% de crentes têm dificuldades económicas severas com pobreza e doenças difíceis de controlar. Na realidade parece que quanto mais crentes mais problemas têm. Até dentro de cada país as populações com mais criminalidade e miséria são as mais religiosas em regra. (6)
4- Inúmeras guerras ao longo da história foram cometidas em nome de um Deus. Mesmo hoje na China existem problemas violentos envolvendo Muçulmanos (propagar a fé com a espada?).(7), (8)
5- Existem inúmeros institutos científicos sem religião. E são os melhores em termos de resultados. "Funcionam" perfeitamente como diz o Stephen Hawking.
6- Os dois maiores dadores para caridade são os ateus Bill Gates e Warren Buffet.

Será que deixei o caso claro?

(4)Várias vezes o disse. A primeira registada é no Mein Kampf
(5)http://en.wikipedia.org/wiki/Demographics_of_atheism. Sei que o Japão também está cheio de ateus mas não encontro um link para mostrar. Para quem duvida da Wikipédia ver os mesmos números no eurostat 2005
(6) Existem muitos estudos. Deixo um dos primeiros que encontrei de um fenómeno bastante conhecido: http://i.imgur.com/kpb5A.png

Encontrei isto através do Fossa Céptica do comentador Skynet

PS: não consegui encontrar números de religiosos no Cambodja. Mas no CIA factbook registam a existência de religiões. 

2 comentários:

Skynet disse...

Tenho de confessar que até já enjoa ouvir continuamente o mantra "cuidado como ateísmo, não se lembram dos comunistas?" Como se a culpa fosse do ateísmo e não do facto destes regimes serem governados por malucos megalomaníacos sem respeito pela vida humana. É como dizer que os chineses têm olhos em bico porque comem arroz. Ou a analogia do bigode que o Dawkins usa.

Será que posso usar a mesma lógica falaciosa dos crentes e afirmar que o Catolicismo é responsável pelo nazismo baseado nas declarações de Hitler?

Joao disse...

Skynet:

É verdade, é demasiado frequente para ser sequer engraçado.

Acho que isso era pagar-lhes da mesma moeda, mas o que une os cepticos é o gosto pela pesquisa imparcial. Acho eu.

Sabemos que Hitler não era um pulha por ser Cristão, pois há muitos cristãoes bons o que mostra que se pode ser Cristão e boa pessoa e não ha afirmação que sustente o genocidio na doutrina cristã.

Mas que ele era ateu é uma asneira. Isso é que não era. A crença de Hitler acerca da existencia de Deus, na minha opinião é indiferente para o que ele fez. Não foi o primeiro a matar em nome de Deus, isso é algo que todas as religiões practicamente fizeram, mas se ele fosse de facto ateu arranjaria outra desculpa para cometer as atrocidades ou ficava-se pela superioridade ariana.