quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Criação a partir do nada e radiação de Hawking

Outra das excentricidades da mecânica quântica é a previsão de que a matéria se está sempre a produzir a partir do nada. Pares de partícula e anti-partícula aparecem espontâneamente para logo a seguir colidirem e extinguirem-se de uma vez. No fim, nada se perde, nada se cria, tudo ficou como antes.

Stephen Hawking, fez a previsão teórica de que se isto acontecesse em cima  do horizonte de acontecimentos de um buraco negro, ficando as duas partículas separadas pela linha de fronteira, uma cairia no buraco e a outra poderia escapar-se. Não haveria aniquilação. Um fotão seria emitido - o resultado seria a radiação de Hawking.

Até agora não havia maneira de medir esta radiação, pois criar buracos negros no laboratório não é muito prático. Mas um grupo de cientistas conseguiu criar uma maneira de aprisionar e puxar uma das partículas para  simular a queda para dentro do buraco negro.

O que aconteceu foi que isso criou fotões dentro das frequências previstas pela teoria. Naturalmente que agora que o trabalho foi publicado vai ser analisado a pente fino. Mas em principio deu mais uma prova da capacidade predictiva da mecânica quântica e da possibilidade de criação de matéria a partir de uma flutuação quântica. Apenas da indeterminação nasce matéria.

Os crentes que estão sempre preocupados com a criação a partir do nada que "tem de ser impossível" deviam prestar atenção a estas coisas. É que o aparecimento da matéria não depende da vontade de ninguém. É ao acaso - e de acordo com as probabilidades quânticas. Literalmente nasce da indeterminação.

Via New Scientist:
http://www.newscientist.com/article/dn19508-hawking-radiation-glimpsed-in-artificial-black-hole.html

Sobre a mecanica quantica:
http://cronicadaciencia.blogspot.com/2010/09/sobre-mecanica-quantica.html
Enviar um comentário