sexta-feira, 15 de abril de 2011

Canção do vira ontológico


Como o nada não existe,
pois em nada consiste
algo se impera que surgisse,
já que nada apenas
tinha que o impedisse.

mas nada não existe.

E sem nada que o impedisse
e sem ter como se previsse
numa flutuação de possibilidades nasceu
a possibilidade de que alguém existisse

E ao perguntar porque existe
esse alguém que pensa e é
já que quem pensa logo existe,
tem de reparar que ao que já é
só poderia anteceder algo que permitisse
que ele assim, pensante,
existisse.

(Sim, já sei, qualquer hipotese que tinha de não passar por nerd ficou para sempre comprometida. :P)
Enviar um comentário