terça-feira, 27 de setembro de 2011

Neurotretas. Lateralização das funções cerebrais como justificação de personalidades.

A neurologia veio revolucionar a psicologia. A capacidade de poder observar e compreender o que se está a passar no cérebro mudou o curso e a profundidade da investigação.

A abordagem tipo "caixa preta" - baseada em "inputs" e "outputs", sem ver o que se passa "lá dentro", ficou    para a maioria das questões completamente obsoleta. 

E claro, começam a surgir os livros de psicologia pop com alegações de serem "baseados no cérebro" ou em "recentes descobertas neurológicas". Alguns poderão ser bons e alguns são mesmo, mas o que me preocupa é a treta. 

Uma das coisas que notei que deve levantar uma bandeira vermelha e que está por aí a potes é a dos abusos acerca da lateralizaçao do cérebro. Ela existe. Mas é muito mais subtil do que às vezes  nos querem  fazer crer.

Dizer que uma pessoa é cérebro esquerdo ou direito por uma razão qualquer, ou que uma característica está no lado tal, é um abuso. De um modo geral as características e funções do cérebro estão distribuídas pelos dois hemisférios simultâneamente e estão bem integradas no seu todo. 

De acordo com o neurologista de referencia deste blogue, o Steven Novella:

 "(...) the “right-brain/left brain” thing is in the public consciousness and won’t be going away anytime soon. Sure, we have two hemispheres that operate fine independently and have different abilities, but they are massively interconnected and work together as a seamless whole (providing you have never had surgery to cut your corpus callosum).

We also do have hemispheric dominance, but that determines mostly your handedness and the probability of language being on the right or the left. There is also often asymmetry for memory, with some being right or left hemisphere dominant. But none of this means that your personality or abilities are more right brain or left brain. That much is nonsense." (aqui)
Ou seja, lateralização das funções do cérebro existe, mas a menos que o nosso cérebro esteja cortado ao meio pelo corpus callosum e assim a comunicação entre hemisferios comprometida, (como acontecia  nos pacientes dos primeiros estudos sobre o assunto nos anos 60), podemos contar que a cada momento ambos os hemisférios estão a contribuir para a nossa consciência e personalidade. 
A wikipédia também tem um bom artigo sobre o assunto, aqui.

Enviar um comentário