quinta-feira, 25 de março de 2010

Níveis de realidade e a transdisciplinariedade mística

Através do Miguel Oliveira Panão (1) vim a tomar conhecimento de um movimento intelectual auto-denominado Transdiciplinaridade (2) que se fundamenta na existência de níveis de realidade.

A Transdiciplinaridade refere-se no entanto a mais que a intersecção de areas de conhecimento. Isso é banal e frequente em ciência e entre a ciência e a filosofia.

Na minha opinião, a dita Transdisciplinaridade, procura mais encontrar uma maneira de tornar todas as áreas de conhecimento relevantes para um problema ( e chamar deus ao barulho) do que encontrar que áreas de conhecimento são de facto relevantes para um problema ou que soluções são pertinentes. Como eles dizem:

" A visão transdisciplinar está resolutamente aberta na medida em que ela ultrapassa o domínio das ciências exatas por seu diálogo e sua reconciliação não somente com as ciências humanas mas também com a arte, a literatura, a poesia e a experiência espiritual." (2) ou

"A transdisciplinaridade conduz a uma atitude aberta com respeito aos mitos, às religiões e àqueles que os respeitam em um espírito transdisciplinar" (2)

E tal como esta interdisciplinaridade ou transdisciplinaridade não é um mero confluir de conhecimentos sobre o universo, tal como proporcionado por equipas académicas multidisciplinares - aqui vale tudo (menos reduzir a realidade a uma única teoria que explique tudo )(3) , até mitos - também os níveis de realidade de que eles falam são mais que níveis de realidade.

Enquanto que pode ser conveniente para o cientista explicar a realidade por níveis de complexidade ou quantidade, e dizer coisas como " ao nível microscópico" ou "ao nivel não do individuo mas sim da sociedade", por exemplo, para conseguir uma abordagem mais clara e explicar mais precisamente o assunto em questão, ele não sugere que estes niveis da realidade tenham realidade própria fora do seu cerebro. A realidade é toda a mesma. E os niveis são niveis apenas para nos podermos por as coisas em gavetas e pensar sobre elas. Nem para as separar serve porque o cientista sabe que não há uma linha limite entre os ditos níveis. Eles são mapa e não território. Servem para ajudar a compreender e não são eles próprios reais fora do nosso cérebro. Tal como a mitologia. Nem muito menos têm um Terceiro escondido como diz o Miguel Panão. (4)

A Transdiciplinaridade é felizmente clara acerca de a realidade ser apenas uma e de os diversos níveis serem níveis da mesma realidade - não de varias realidades. Não é aí que está o problema. O problema está em querer dividir a realidade em níveis (em numero infinito) e pensar que estes níveis estão mesmo lá. Isso é de um reducionismo para além do ingénuo. Nem o reducionismo da ciência vai tão longe.

Os níveis da realidade correspondem abordagens diferentes, a sistemas de conhecimento com poder explicativo diferente, isso tudo. Mas não são da realidade para além do nosso cérebro. São relativas a nós e não ao universo.

Tenho este trabalho todo a falar sobre estes níveis de realidade da transdisciplinaridade , porque eles encaixam noutro padrão que se tornou típico nos agressores do naturalismo. Que é a procura de lacunas no conhecimento cientifico para introduzir as suas ideologias.

E aqui nos níveis de realidade temos o principio do Terceiro escondido - que é a logica da passagem entre níveis - dizem eles - e que serve para... O melhor é fazer copy-paste:

" Por outras palavras, a acção da lógica do ‘meio incluído’ nos diferentes níveis da Realidade é capaz de explorar a estrutura aberta da unidade entre os níveis da Realidade."

Ou seja para enfiar tretas "ad-hoc", uma vez que:

"Esta simplicidade [que é a interdependência universal que por sua vez é a complexidade e que por sua vez é a união entre os niveis de realidade onde está o Terceiro escondido que é a lógica incluída no meio] (5) não pode ser apreendida pela lógica matemática, mas apenas pela linguagem simbólica."

Estes níveis de realidade, que são por estes senhores propostos, têm ainda a particularidade de servirem de prova que deus existe (6).

Mas em conclusão, sejam reais enquanto atributos do universo ou reais enquanto atributos do conhecimento, eles não têm nada na sua propriedade que justifique diminuir a resistência à intuição como fonte de conhecimento . Que é o que a abertura total que eles propõem explicitamente indica (4) .

Porque a intuição é como o palpite. Há para todos os gostos. E como eles dizem, nisso estamos de acordo, a realidade é só uma. Algumas coisas têm de estar erradas.

(1)http://www.blogger.com/profile/13740664307917072565

(2)http://www.redebrasileiradetransdisciplinaridade.net/file.php/1/Documentos_da_Transdisciplinaridade/Carta_da_Transdisciplinaridade_1994_-_I_Congresso_Mundial_da_TransD.doc

(3) Na carta da Transdiciplinaridade referida em (2) pode ler-se no artigo 2º: " Qualquer tentativa de reduzir a realidade a um único nível regido por uma única lógica não se situa no campo da transdisciplinaridade."

(4)http://cienciareligiao.blogspot.com/2009/02/idea-de-niveis-de-realidade-para-com-as_16.html

(5) parece confuso? Não, esta tudo aqui na referencia (4) mas eu ajudo:

Ele diz que: " O axioma lógico: a passagem de um nível da Realidade para outro é assegurada pela lógica incluida no meio."

e depois diz:

"Todos os níveis da Realidade estão interconectados através da complexidade. De um ponto de vista transdisciplinar, a complexidade é a forma moderna do princípio antigo da interdependência universal. O princípio da interdependência universal encerra a máxima simplicidade possível que a mente humana pode imaginar, a simplicidade da interacção entre todos os níveis da realidade. Esta simplicidade não pode ser apreendida pela lógica matemática, mas apenas pela linguagem simbólica."

(6) http://cienciareligiao.blogspot.com/2009/03/como-pode-deus-agir-sem-intervir.html onde diz " Que sinais podemos então ver nos avanços mais recentes do conhecimento científico que possamos interpretar como marcas de Deus-Trindade na criação? Existem três: a complexidade e auto-organização; o conceito de informação; a teoria de níveis da Realidade."

Enviar um comentário