terça-feira, 20 de julho de 2010

Porque é que os cepticos não têm gurus e porque é que os crentes são crentes.

Bem, na realidade a resposta a esta pergunta ainda não está muito mais que esboçada. Mas o André Luís (1) deixou-me de presente este link na caixa de comentários:

http://scan.oxfordjournals.org/content/early/2010/03/12/scan.nsq023

Que leva a um abstract de um estudo que sugere que seguir figuras de culto e acreditar em milagres pode de facto ter a mesma origem. Em presença de figuras carismáticas, crentes cristãos mostraram uma tendência para desactivar redes neuronais no córtex frontal, em contraste com os cépticos, onde isto não acontece. Os crentes também aceitaram mais facilmente a capacidade destas pessoas carismáticas terem poderes curativos.

Afinal, quer-me parecer que quando os cépticos dizem que não seguem gurus, provavelmente estão apenas a dizer que não desligam a "máquina de duvidar" perante ninguém. E isto é neurologicamente suportado por esta pesquisa. E acrescento que na realidade nós seguimos muito mais raciocínios e ideias que pessoas, coisa que aparentemente não precisa de desactivar nenhuma area do cerebro.

(1) André Luís, http://www.blogger.com/profile/09702334332550490793 - comentário em "Porque é que os ateus e liberais são tendencialmente mais inteligentes"
Enviar um comentário