terça-feira, 26 de maio de 2009

Mais sobre a origem da vida. Bastante mais.

Embora ainda haja muito por esclarecer acerca da origem da vida, um estudo recente (1) vem mostrar como a hipótese do RNA ser a primeira molécula auto-replicavel é bem plausível. 

Ao criar parte importante da molécula de RNA, em condições compatíveis com aquelas que se pensa terem existido na Terra pré-biotica, um grupo de investigadores coloca mais uma pequena peça no puzzle. Pequena mas fulcral, na minha opinião. Ainda recentemente, um outro estudo, também aqui referido, mostrava como a evolução surgia espontaneamente numa mistura muito simples de moléculas de RNA (2). Faltava mostrar como essas moléculas podiam ter surgido. Muitas tentativas já tinham sido feitas mas havia alguns problemas. 

Foi assim que as coisas aconteceram há milhões de anos atras? Não sabemos, mas é a demonstração de uma possibilidade. 

Vou deixar aqui a tradução do “abstract”:

“Em alguma fase da origem da vida, um polímero “informacional” deve ter surgido por meios puramente químicos. De acordo com uma versão da hipótese do “RNA world” este polímero foi o RNA, mas tentativas de mostrar suporte experimental falharam.

 Em particular, apesar de Ter havido algum sucesso a mostrar que ribonucloetidos activados podem polimerizar-se e formar RNA, esta longe de ser obvio como estes ribonucleotidos podem Ter formado as suas partes constituintes (ribose e bases dos ácidos nucleicos). A ribose é difícil de formar selectivamente e a adição de bases à ribose é ineficiente no caso das purinas e não ocorre de todo no caso das pirimidinas canonicas.

Aqui demonstramos como ribonucleotidos de pirimidina activada se podem formar a partir de uma sequência curta passa ao lado da necessidade de ribose livre e das nucleobases e em vez disso procede através da arabinose aminoxazolina e intermediarios anidronucleosidos.

Os percursores para a síntese foram cyanamida, cyanoacetyleno, glicolaldeido, gliceraldeído e fosfato inorgânico que são todos moléculas prebióticas plausíveis e as condições de síntese são consistentes com modelos geoquimicos da Terra primitiva.

Apesar do fosfato inorgânico ser apenas incorporado nos nucleotideos num estádio tardio do processo, a sua presença é essencial porque ele controla três reações nas fases iniciais ao actuar como catalizador ácido-base, catalisador nucleofilico, tampão de Ph e tampão quimico.

Para sequências de reacção prébiotica, os nossos resultados sublinham a importância de trabalhar com sistemas químicos mistos em que reagentes de um determinado passo podem controlar outros passos.”

(1) Synthesis of activated pyrimidine ribonucleotides in prebiotically plausible conditions: http://www.nature.com/nature/journal/v459/n7244/full/nature08013.html 
(2) http://cronicadaciencia.blogspot.com/2009/01/sobre-origem-da-vida.html


Enviar um comentário