quarta-feira, 3 de julho de 2013

Imparcialidade

Um exercício fantástico com um fim prático:

Imaginem que antes de nascermos, existíamos como espírito, com amplo conhecimento de causas e coisas,  excepto acerca dos particulares pessoais após o nascimento.

Não saberíamos o sexo, a etnia, o local de nascimento, o estrato sócio-económico, a inteligência, a força física ou a saúde que teríamos neste mundo. Todas aquelas coisas que sejam inatas, ou perto disso, estariam incluídas neste véu de ignorância.

Teríamos no entanto,  nessa altura antes de nascer,  a oportunidade de participar na construção das leis que encontraríamos.

Como gostaríamos, nessas condições, que fossem as coisas?




Enviar um comentário